Translate

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

segunda-feira, 11 de abril de 2016

TURISMO GASTRONÔMICO


O principal foco desta modalidade é proporcionar prazer através da degustação. Além de expressar a cultura pois, toda cozinha reflete a história e os saberes do povo e da nação.

Os participantes desta modalidade procuram saciar o apetite degustando a comida local. Algumas regiões aproveitam se de sua cultura culinária e criam variados eventos e concurso gastronômico como

Comida di Buteco (Belo Horizonte)

O evento surgiu devido a um programa de radio que pretendia reunir boteco para resgatar a gastronomia. O evento foi crescendo e se popularizando, deste então o concurso entrou para o calendário de Belo Horizonte como importante instrumento da preservação da cultura metropolitana.

O ambiente de um boteco geralmente é simples e informal, porem isto não quer dizer que falta profissionalismo, pois o publico esta mais exigente e prioriza a qualidade nos serviços. Na avaliação são considerados, a qualidade do petisco, o sabor, a temperatura da bebida, a participação familiar, a higienização do espaço, o atendimento, a presença do dono, a relação do proprietário com o estabelecimento e com o cliente.

Com a popularização do evento outras iniciativas surgiram como a Saidera criada para atender a uma demanda que se reunia para comemorar o boteco vencedor e o circuito Minas Comida di buteco, a qual uma cidade mineira é escolhida para sediar o evento. O ultimo foi realizado em São João Del Rey e a Comida di buteco um caso de amor com BH, teve como objetivo melhorar a alta estima da população.

Festa do Pastel de Angu (Itabirito)

Consiste num festival em honra ao maior patrimônio imaterial de Itabirito, o Pastel de Angu.

O quitute foi inventado por duas escravas, Filó e Maria Conga. Elas viviam na fazenda dos Portões, pertencente ao senhor David Pereira Lima.

Segundo a tradição oral Filo e Maria reuniram as sobras de angu e recheavam com um guisado de umbigo de banana e carne bovina que pegavam escondido na cozinha. Depois assavam em rustico fornos feito de cupinzeiros. Hoje a iguaria é frita e óleo.




Bonecos que representam as criadoras decoram o espaço


O evento conta com apresentação de danças e shows. Todas as barraquinhas estaladas ao redor pertencem as instituições de ensino da cidade, que as decoram de modo a lembrar a vida rural de Minas Gerais.





















O pastel de Angu não é o único produto a ser encontrado. Doces, caldos, salgadinhos e bebidas podem ser comprados nas barracas que circulam a arena.





Trailer da equipe de informações turística




Também ocorre oficina, onde os participantes do evento podem aprender a fazer o delicioso pastel.

Leia sobre segmentação do mercado turístico http://espacodeturismo.blogspot.com.br/2011/07/segmentacao-de-mercado-tipo-de-turismo.html

Confira as receitas do evento no Blog: