Translate

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de abril de 2015

CLUSTERS E COMPETITIVIDADE

Histórico:  Não se sabe ao certo de onde e desde quando surgiu o cluster, mas sabe-se que esta estratégia ficou muito mais elaborada no século XXI e que existem duas alternativas de surgimento:

1.pode ter nascido de pesquisas feitas em Massachusetts pelo MIT  (Massachusetts Institute of Tecnology) ou pela Havard University;

2.pode ter surgido por necessidade local específica, como ocorreu em Israel com equipamentos de irrigação e tecnologia agrícolas.

CONCEITO: Segundo Michael Porter, clusters são concentrações geográficas de empresas de determinado setor de atividade e organizações correlatas - de fornecedores de insumos a instituições de ensino e clientes - que competem, mas também cooperam entre si.

Um bom exemplo para cluster seria algo como uma colmeia (sugestivo de cooperação, colaboração, especialização, divisão do trabalho) ou como o conjunto de equipamentos de lazer de um condomínio de edifício (a piscina, a churrasqueira, a quadra poliesportiva, o playground infantil), o que sugere integração, entrelaçamento, afinidades.


OBJETIVOS:
Aumentar a produtividade;
Rapidez na atitude a ser tomada;
Reduzir custos;
Inovar permanentemente a empresa;
Somar esforços;
Aperfeiçoar investimentos;
Potencializar resultados;


CARACTERÍSTICAS:
Promover competitividade e cooperação;
Maior acesso a mão-de-obra e fornecedores;
Dividir problemas de desenvolvimento na região para melhor resolvê-los;      
A compra local é mais vantajosa do que as compras a distancia;                         
Basear a sustentabilidade do processo na comunidade;
Proximidade entre empresas, governo e instituições;
Direcionar o esforço de investimentos e de ações em função de atividades econômicas que possuem potencial de desenvolvimento e competitividade;


PONTOS POSITIVOS:
Permite às empresas ser mais produtivas na compra de insumos;
Diminui as chances de fornecedores cobrarem preços altos;
Empresas participam de programas da rede mundial;
Acesso a informações especializadas;
Cria um mercado de trabalho especializado;
Atraem fornecedores de diversos tipos;
Geram um ambiente de disseminação de tecnologias;
Minimiza a necessidade de manter estoque;

PONTO NEGATIVO:
A concorrência pode aumentar os preços e a escassez dos recursos.

APLICAÇÃO NO TURISMO:
No Brasil o cluster vem sendo adotado pelo o estado da Bahia desde 2002. Para esta estratégia foi dada o nome de “Cluster de Entretenimento, Cultura e Turismo da Bahia”. Este reúne empresas e entidades dos setores de entretenimento e cultura (Rede Globo), turismo (Accor, CVC, TAM) e setores governamentais.

O empresário Xavier Veciana conta que o cluster tem ação apenas na capital, mas há criação para outros lugares do estado: “A vantagem do cluster é que ele pode ser criado até por microrregiões. Por essa razão, reunimos primeiramente as lideranças de Salvador, mas estamos criando clusters na Costa dos Coqueiros e na Costa do Cacau”.

Outro estado que está adotando a estratégia cluster é o estado vizinho, Pernambuco. Há um ano o primeiro modelo de clusters foi criado em Porto de Galinhas. “A diferença é que estamos no caminho inverso da Bahia. Partimos de uma pequena região e já estamos sendo procurados para uma política estadual. Isso é possível porque o litoral pernambucano é menor que o baiano”, afirma o publicitário Bruno Rêgo, diretor executivo da OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

SOBRE MICHAEL PORTE

Michael Porter, economista, professor de Administração de Empresas da Harvard Business School, autor de diversos livros na área de estratégias de competitividade, a partir da posição de feedback. É considerado a maior autoridade mundial em estratégia competitiva e também é um dos consultores mais solicitados por companhias e governos do mundo inteiro, inclusive sobre o governo brasileiro.

Participou como conselheiro de estratégias em diversas empresas norte-americanas e de outros países, garantindo diversas conclusões de seus estudos como conceitos de estratégia que marcaram a disciplina de Administração de Empresas como a análise de indústrias em torno de cinco forças competitivas, rivalidade entre os concorrentes, poder de barganha dos clientes, poder de barganha dos fornecedores, ameaça de novos entrantes e finalmente a ameaça de produtos substitutos.



GESTÃO HOLISTICA


Holístico
que dá preferencia ao todo ou a um sistema completo, e não a analise, a separação o das respectivas partes componentes



Gestão holística ou integrada
é o novo paradigma na maneira de gerenciar os funcionários, que privilegia a busca do bem estar.

A gestão holística está ganhando terreno em varias partes do mundo. A tendencia obedece a crescente fusão da vida no trabalho, com a vida particular. Isso está obrigando muitas empresas a revisar suas politicas de recursos humanos para enfocar as três dimensões de um individuo, corpo, mente e espirito que simbolizam aspectos da vida dos funcionários de que as empresas estão tentando cuidar.

Na verdade esse novo pensamento gerencial origina-se da mistura irreversível do trabalho e da vida pessoal dos funcionários. Essa filosofia será o principio norteador das organizações bem sucedidas no novo século.
Estudo da pricewaterhousecoopers, universum e outras organizações constataram que o equilíbrio trabalho/vida é uma das principais prioridades dos formandos de universidades do mundo todo.

Numa época em que muitos trabalhadores conseguem escolher seu empregador, uma abordagem holística coloca a empresa em degrau acima dos seus concorrentes. A dificuldade de atrair e conservar talentos tem levado um número crescente de companhias a reexaminar suas estrategias de RH essas empresas estão desenvolvendo programas que buscam não só a maneira de encontrar boas pessoas, como também o que oferecer em benefícios, oportunidades de crescimento e de instrução, estilo de vida e etc...

Este tipo de reexame holístico e a construção de novos programas que atinjam essas metas agora estão se tornando de suma importância no local de trabalho. As empresas que adotam uma abordagem mais realistas da gestão de funcionários relatam benefícios como taxas de recrutamentos e retenção significativamente mais altas do que as médias do setor e melhorias de produtividade e desempenho, tudo isso se traduzindo em níveis mais altos de competitividade e inovação.



Redefinição de bem-estar


 
O bem - estar abrange três dimensões que são; o emocional espiritual e a saúde física do funcionário, se estas não estiverem juntas, poderá causa desequilíbrio na vida profissional e pessoal de uma pessoa, ou seja, é necessário conciliar o trabalho com a saúde e a família para se ter a satisfação. De acordo com Barr, o bem - estar espiritual proporciona significado e finalidade para o individuo, e quando este tem objetivo e valor na vida dará uma boa forma física como; controle de estresse, alimentação adequada, incentivo em parar de fumar e dentre outros. Um dos exemplos desta aplicação de bem - estar podemos citar a NIIT (Serviços de tecnologia da informação Atlanta) é uma empresa em que os gerentes procuram ter conhecimento sobre a vida particular e profissional dos funcionários, buscando o retorno destes, a lealdade em permanecer na empresa.
A RAZÃO DA PRÁTICA

Uma firma que queira inserir um programa de Gestão Holística deve consultar a opinião dos funcionários, porque, não há um modelo pronto a ser aplicado. A gestão holística considera os desejos e necessidades dos trabalhadores.

Os programas devem ser bem abrangentes para lidar com diversas situações da vida. Uma desvantagem da Gestão Holística é que programas já existentes que beneficiam os funcionários acabam desaparecendo.A firma de Consultória Ernst & Young estabeleceu um departamento especifico que auxiliar a permanência das pessoas na empresa. Todas as sugestões são levadas em conta. Devido a política de bem esta, os funcionários permanecem nas empresas é as empresas não tem dificuldade de selecionar os melhores.


 

NEGÓCIO ÉTICO
A ética vai além de atingir um equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. È preciso certificar–se que o equilíbrio vai incluir também uma dose saudável de outras coisas além da família, atividades, esportes. Coisas que fazem uma pessoa mais equilibrada com capacidade de ajudar em sua própria organização. Para os proprietários e os acionistas da empresa, este equilíbrio, é um negócio inteligente e ético. Inteligente porque atrai as pessoas mais talentosas. Um negócio ético porque uma das metas éticas mais importantes , de um negócio é ser um bom empregador e um bom cidadão como pessoa jurídica. Os dois são relacionados pela sua lógica , porque segundo Wolfe:" Fazer escolhas éticas, como oferecer uma creche no local de trabalho, atrai e conserva os melhores funcionários, e isto faz com que seja reduzida a rotatividade e os custos de recrutamento, e isto se torna um diferencial para a empresa".




INVESTIR NO PRAZER INTELECTUAL

O potencial humano desenvolvido nos funcionários se torna um fator-chave para a competitividade no futuro. È preciso cuidar da pessoa de forma integral, incluindo suas capacidades mentais, fazendo isto estarão cultivando os valores ocultos de uma organização. Os funcionários precisam ser considerados como potencial humano, e ter oportunidades ilimitadas para explorar o seu potencial. Segundo Leif Edvinsson: " Liderança significa dar oportunidade ás pessoas ", "A função do gerente de RH é ser um cultivador do capital intelectual".
È preciso que as empresas tenham sua atenção voltada para os efeitos do estresse num ambiente de negócios. Os custos quantitativos do efeitos do estresse nos empregados e nas organizações são alarmantes.



Busca interior

A Maioria dos funcionários sente sem se expressar, a falta de realização pessoal que são; ansiedade, medo, desinteresse, insegurança das pessoas em relação ao trabalho. Para solucionar esse problema Deborah Holmes diz que a flexibilidade é uma forma boa tanto para os funcionários e para os negócios da empresa, pois terá retorno favorável para ambos, lembrando que serão possíveis esses benefícios entre os dois, se a empresa aplicar inovações com a finalidade motivar e incentivar o funcionário na realização do trabalho.

DOWNSIZING & MENCHMARKING


HISTORIA E CONCEITOS



O Downsizing surgiu como uma necessidade de solucionar o excesso de burocracia que se verificava em muitas organizações o que, além da lentidão, dificultava a tomada de decisões e a adaptação às novas realidades ambientais.Um dos criadores do conceito foi o Robert Tomasko.

A técnica Dowsizing foi criado em meados dos anos 80. As empresas na época criaram estruturas gigantescas e com o crescimento da concorrência internacional, obrigou as corporações a realizar um grande esforço para melhorar a produtividade de suas operações.

Nessa época também a flexibilidade e a velocidade eram dois requisitos chaves para o meio da competição entre as empresas. O downsizing significa a redução radical do tamanho da empresa, ou seja, foi criado para racionalização nas empresas através da redução dos níveis hierárquicos (delayering) ou da venda de negócios não estratégicos. Com isso as empresas ganham mais flexibilidades e perdem um pouco a burocracia e ficam mais próximas ao mercado e dos clientes.

Um dos conceitos básicos do Dowsizing é uma técnica voltada para a eliminação da burocracia corporativa desnecessária e sustentada nos quadros administrativos representados pela gerencia , assessoria , pessoal de controle e pessoal de apoio. A base principal do downsizing é o projeto de racionalização planejada em todas as etapas, que deve estar consistente com a visão estratégica, e com isso construir uma organização eficiente e capaz , para instituir práticas que mantenham a empresa mais enxuta possível. Ela foca a hierarquia implantada na constituição

CARACTERÍSTICAS E OBJETIVOS PRINCIPAIS DO DOWNSIZING

O Downsizing tem um projeto de racionalização planejado e de acordo com a visão estratégica dos negócios, as metas globais da organização, e a partir da definição clara de seus objetivos e caraterísticas. São elas:

Redução de custos;
Rapidez na tomada de decisões;
Resposta mais rápida às ações do concorrente;
Comunicação menos distorcida e mais rápida;
Manutenção da orientação para ação com menos análises e paralisia;
Promoção da sinergia dentro da empresa;
Elevação da moral na gerencia geral
Criação do foco nas necessidades do cliente, e não nos procedimentos internos;
Aumento da produtividade dos gerentes;
Competência emocional adequada dos colaboradores;
Habilidade de Comunicação;
Flexibilidade;
Trabalho em equipe e liderança eficiente;
Exigências de colaboradores que sejam especializados em áreas especificam, mas que possuam ao mesmo tempo uma visão generalista;

PONTOS POSITIVOS
Menos hierarquia (layering), proporcionando maior interação dos cargos;
Redução de custos. ( curto prazo);
Menos burocracia dentro da empresa, ou seja, uma empresa mais dinâmica e enxuta, que se comunica com facilidade internamente;
Velocidade nas ações e decisões necessárias dentro da empresa;
Maior preparação e rapidez na resposta aos desafios da concorrência;
Flexibilidade da empresa;
Estreitamente da distância do mercado e dos clientes, garantindo um produto que busca suprir as necessidades dos clientes;
Crescimento da produtividade e dos lucros a longo prazo;

PONTOS NEGATIVOS
Envolve demissões
Possibilidade da queda de qualidade dos produtos e serviços a curto prazo
Possibilidade de abaixar a moral interna, ou seja, menor confiança e satisfação dos funcionários, devido à falta de segurança do cargo.
Sobrecarga de trabalho nos funcionários que permaneceram, pois esses devem cobrir a função que era realizada pelo colega demitido.
Perda dos contatos dos funcionários, ou seja, da "memória" da empresa, o que poderá acarretar na falta de inovação nos serviços e produtos oferecidos aos clientes.
Possibilidade de revolta e violência por parte dos membros demitidos, pode resultar em prejuízos matérias à empresa.
Aumento do estresse e esgotamento dos funcionários e permaneceram na empresa, acarretando maiores despesas com departamento médico.´

VALIDADE/APLICAÇÕES DA ESTRATÉGIA NAS EMPRESAS DO TURISMO

DOWNSIZING

A aplicação do downsizing nas empresas de turismo teve inicio na década de 90, da mesma forma como aconteceu com outras empresas de diferentes setores.

No setor de turismo o downsizing aparece de forma diferente das demais empresas, pois os empregadores de turismo tendem a resistir à política de demissões, pois estes investem alto em contratações e treinamento de pessoal, as demissões no setor ocorrem muito quando, por exemplo, o setor passa por uma crise, como por exemplo, a crise aérea, que gera prejuízos também as agencias de viagem e aos hotéis, gerando uma crise em cadeia. Assim os empregadores muitas vezes têm que cortar funcionários para diminuir estes prejuízos. O setor de turismo usa também a opção de trabalhos temporários, por exemplo, os estagiários, que já entram na empresa com um contrato por um período determinado, aliviando assim contratações e a burocracia que estas gerariam a empresa. Estas ações visam diminuir a rotatividade, aumentar a produtividade e evitar mais demissões e prejuízos com a perda de funcionários. 

 BENCHMARKING

 HISTORICO, CONCEITOS E OBJETIVOS DE BENCHMARKING.
 
Pode-se dizer que o processo de benchmarking foi inserido no ambiente de negócios pela Xerox, Ford, IBM, que o definiu como "o processo contínuo de medirmos nossos produtos, serviços e práticas com os mais fortes concorrentes ou com as companhias reconhecidas como líderes da indústria".

O Benchmarking tem como ideia principal "economia" de tempo e trabalho, que no caso siginifica "copiar" modelos de outras empresas, mas essas cópias nunca serão iguais, e sim adaptadas e aprimoradas com o intuito de evoluir a ideia original. É um processo gerencial permanente , e requer coleta e análise do que há de melhor externamente em uma empresa , onde possam fazer de suas decisões a comunicação em todos os setores e níveis do local de trabalho. O Benchmarking também é visto como abordagem de planejamento estratégico , ou seja, é um processo que permite realizar comparações de processos e práticas para identificar o melhor do melhor e alcançar o objetivo principal que é a superioridade ou vantagem competitiva.

Esse conceito surgiu como uma necessidades de informações e vontades de aprender depressa .Essa competitividade só deu início , pois as empresas queriam uma ser melhor do que as outras , então surge junto o aprimoramento nos setores de processos, produtos e serviços que visam oferecer alta qualidade com baixo custo e assumir a liderança do mercado onde atua.

Possuem quatro tipos de Benchmarking, são eles:

Benchmarking competitivo, que se caracteriza por ter metas específicas as práticas do seus concorrentes .
Benchmarking interno, que é a busca dos melhores resultados , que ocorrem junto a prática na organização em setores diferentes .Esse é o tipo mais usado , segundo pesquisas feitas em empresas.
Benchmarking genérico , é usado na maioria das empresas do mesmo porte , como desde a entrada de seu pedido até a entrega ao cliente , esse processo também atravessa várias funções da organização.
Benchmarking funcional, é baseado em função específico , podendo ser usado ou não na organização ,e serve também para obter informações sobre as atividades bem definidas.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO BENCHMARKING
 
Impõe o pensamento de que "ninguém é melhor em tudo, ou seja, copiar modelos de outras empresas significa economizar tempo e trabalho". Porem essas cópias nunca serão iguais, elas sempre serão modificadas, ajustadas e aprimoradas com o intuito de promover a evolução da idéia original;
Processo contínuo e sistemático;
Processo baseado na interatividade;
Processo investigativo, a fim de conseguir informações valiosas para o sucesso da organização;
Processo Voltado para a aprendizagem com outras pessoas;
Processo pró-ativo;
Processo Prospectivo;
Ferramenta viável e de baixo custo, podendo ser implantado em qualquer tipo de empresa e organização e aplicável a qualquer processo;

PONTOS POSITIVOS
Possibilita a eliminação de falhas existentes na empresa
Promove a melhoria na eficiência do produto ou setor da empresa.
Busca a redução de custos na produção ou realização de alguma função.
Melhoria na qualidade , para dar maior satisfação ao consumidor.
Realiza projetos pra desenvolvimento futuro da empresa.
Promove uma continua melhoria em todos os setores da empresa, em que e realizada.
Usa a concorrência como fonte de idéias e aprendizagem, canalizando tudo para o aperfeiçoamento ou inovação do produto.

PONTOS NEGATIVOS

O fato de a técnica Benchmarking ser uma técnica bem elaborada, estruturada e moderna, possuindo poucos pontos negativos. São eles:
Requer uma manutenção constante,por isso e necessário manter sempre as pesquisas atualizadas.
Demanda custos para manter as informações atualizadas.

VALIDADE/APLICAÇÕES DA ENTREGA NAS EMPRESAS DO TURISMO

BENCHMARKING
 
Benchmarking é um processo de busca de novos referenciais, e que propõe uma atualização constante, a busca de novas e melhores práticas tendo como objetivo ajudar as empresas e empreendedores a se adequar a sua oferta introduzindo inovações além de boas instalações, equipamentos e práticas de gestão. No caso do turismo o uso desta estratégia visa melhorar o recebimento e o serviço prestado ao turista que viaja, além de desenvolver os destinos de forma competitiva e sustentável, seguindo exemplos de sucesso de outros destinos.

No setor de turismo o principal órgão a apostar no benchmarking foi o Ministério do Turismo que sempre promoveu várias ações em prol da cadeia produtiva do turismo, com destaque para vários projetos de benchmarking, considerados pioneiros no País. No turismo as ações de benchmarking já demonstram eficácia.