Translate

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

sexta-feira, 3 de julho de 2015

SEMANA SANTA EM SANTA LUZIA- MG

INTRODUÇÃO

            Em uma sociedade onde se vive para o trabalho, a festa tem sua importância, porque significa a quebra da rotina. O homem realiza suas tarefas pensando neste momento de extravasar, por este motivo, as festas brasileiras são expressas como alienação, inversão de valores, quebra da moral e confusão, ou seja ruptura de uma ordem social.  Mas esta idéia nem sempre é correta. A festa pode ser apresentada como afirmação de valores e reflexões, dentre os quais pode-se citar a Semana Santa, que ao relembrar o sacrifício de Cristo e sua reconciliação com a humanidade remete a uma reaproximação de  valores cristãos que às vezes é perdido no dia a dia.
            Em Minas Gerais, a Semana Santa ganha um significado especial principalmente, pelas igrejas barrocas e a tradição católica do povo mineiro, além disto há uma movimentação da comunidade para ornamentar a cidade, através de chamativos como os tapetes feitos de serragem, reforçando a espiritualidade. São  estes ingredientes que atraem alguns turistas .   
            A cidade mineira Santa Luzia apresenta diversas manifestações religiosas, dentre estas se pode referir a Semana Santa que ganha um significado especial, principalmente, por sua conservação tradicionalmente secular, vivenciada pelos moradores e turistas. Como exemplos temos as cerimônias realizadas em Igrejas Barrocas, e nas proximidades das ruas do santuário de Santa Luzia, acontecem as procissões e as confecções de tapetes feitos de serragem, que estão presentes na cidade com este  atrativo para os turistas.
            Este trabalho visa investigar os aspectos culturais, sociais e turísticos da celebração da Semana Santa, na cidade de Santa Luzia, e mostrar a sua relevância   histórica, sendo pouco divulgada e reconhecida como as demais cidades históricas.

JUSTIFICATIVA

           A Semana Santa de Santa Luzia pode se tornar um grande atrativo turístico por ser uma festa tradicional, criativa, espiritual, popular e diversificada. Apesar de  haver uma  carência em divulgação e a comunidade não estar habituada a receber turistas, além disto, não tem o conhecimento da importância dos atrativos da cidade de Santa Luzia.
          A festa em Santa Luzia  ganha elementos especifico, pois apresenta duas cerimônias, uma na parte alta da cidade e a outra na parte baixa. As duas realizam as mesmas cerimônias, rituais, mas  percebe-se algumas diferenças entre ambas. A primeira tem os tapetes e a cerimônia e mais trabalhada e rica. A segunda é uma  cerimônia  mais simples.  Não há um estudo que registre a história e os elementos desta festa. Esta pesquisa não visa o melhoramento da cidade, mas, possibilita a vivência dos momentos importantes da cerimônia para a comunidade. Este trabalho permite trazer benefícios a população e a cidade, trazendo uma valorização da cultura através da divulgação nos meios acadêmicos. Para os alunos e professores da Newton Paiva este trabalho será uma forma de enriquecer seus conhecimentos sobre a simbologia da Semana Santa da igreja católica na cidade de Santa Luzia.

OBJETIVOS

Objetivo Geral

Pesquisar a Semana Santa em seus aspectos culturais, sociais e organizacionais e turísticos.

Objetivos específicos

  • Verificar a infra-estrutura da cidade de Santa Luzia
  • Observar os fatores culturais que envolvem a Semana Santa
  • Mostrar a organização social da festa
  • Averiguar a importância da festa para a população e o turista
  • Descrever o significado simbológico que envolve cada etapa da festa.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

            Segundo a autora Rita Amaral, as festividades brasileiras não são um momento de alienação, mas, de aprendizado, porque, apresentam elementos que constitui o comportamento, as relações e experiência de uma comunidade, porém estes apresentam de maneiras diferenciadas em varias regiões do país. Ela pode trazer também benefício à população como; investimentos e crescimento econômico através do turismo.
            De acordo com Durkheim no texto de Rita , toda festa mesmo as não pertencentes a uma religião, tem características religiosa, porque, cria uma atmosfera de êxtase que afasta o individuo das preocupações da vida cotidiana, na qual o individuo não é só ele, mas, parte do coletivo desta maneira revive laços da consciência coletiva que são ás vezes perdidos. As festividades garantem as pessoas um momento menos tenso com relações as atividades do trabalho.
             Para Nelson Quadros Vieira Filho, o termo patrimônio é variável. Anteriormente era relacionado apenas como herança familiar. Posteriormente na França, o governo criou leis para proteger os monumentos históricos. Com a criação do patrimônio nacional tentou unificar as referências culturais de uma comunidade. Assim, patrimônio é entendido como herança da identidade e minoria coletiva ou individual.
           Em ocasião ao crescimento tecnológico, especialmente dos meios de comunicação, transporte e informações, possibilitou uma nova interpretação do termo identidade. Pois devido a globalização pode-se encontrar pontos em comum em diferentes  culturas, como a padronização no atendimento dos hotéis, venda dos produtos McDonalds e o comportamento onde há maior liberdade para os adolescentes.
           Patrimônio é um grupo de bens que um individuo ou comunidade possui. É dividida em: natural.

“formação física, biológica e geológica excepcionais, habitats de espécie animais e vegetais ameaçados em áreas que tenha valor cientifico de conservação ou estético”.

Já o patrimônio cultural engloba a criação humana de bens tangíveis e intangíveis, caracteriza-se pelo seu valor histórico, cultural, cientifico ou antropológico, como, edificações, festas, musicas, gastronomia, comportamento, crenças, enfim todos estes ingredientes atraem os turistas.
     Em 1970 cresceu a mentalidade da valorização de patrimônio como memória coletiva através do qual pode se reconhecer a identidade. Por isso o contato do homem com meio ambiente deve ser feito de maneira equilibrada procurando sempre a preservação.
     Preservar é manter as referencias das expressões culturais e ambientais, de modo que a sociedade reconheça e valorize suas identidades. Desta maneira é  obrigação da união e do município proteger o patrimônio através de inventario que registre característica da oferta; planos diretores que podem estabelecer formas de proteger o patrimônio urbano, o tombamento que impede a destruição ou descaracterização de bens coletivos.
     Apesar de todas as iniciativas há uma dificuldade por parte do governo de manter o patrimônio preservado. Uma das idéias de preservação que encontra resistência tem a finalidade lucrativa pela iniciativa privada ou uso pelos órgãos do estado.
     Conforme Gustavo Pereira a “Semana Santa é uma festa litúrgica”, ou seja, é baseada na leitura da bíblia, “presente no calendário católico brasileiro com data móvel”, pois, cada ano é apresentado num dia diferente.    

METODOLOGIA 

            Para a realização do trabalho foi feito um estudo de caso, através de entrevistas com a comunidade e envolvidos na festividade. Também desenvolvemos uma pesquisa em textos jornalísticos buscando informações de dados referentes a questão da Semana Santa.
            Foi necessário fotografar momentos da Semana Santa para registrar o evento com e transmitir as imagens dos acontecimentos ocorridos durante a celebração.
 Pôde-se detectar a infra-estrutura e equipamentos através de pesquisa de campo, que permite uma análise acadêmica do local, e perceber suas deficiências e potencialidades na área do turismo.

ESTUDO DE CASO:  SEMANA SANTA

Aspectos Sociológicos Adjacentes ás Festas

ORIGEM

          A festa surgiu dos costumes judaicos. A princípio era uma festa para a passagem  do rebanho que era levado de um pasto mais fraco para outro viçoso, essa passagem tinha o nome de ‘’dia da Páscoa’’. A festa já existia antes de Moisés, mas, ela veio a se tornar mais forte a partir da festa dos pães azemos, que significava o momento em que o povo de Israel celebrava no princípio da colheita. Podemos encontrar essa narrativa da páscoa judaica, no livro do Êxodo 12:1-13 que descreve a luta pela libertação do povo de Deus da escravidão Egito. Esta festa é familiar e celebrada na noite de lua cheia no princípio da primavera no 14º dia do mês das espigas.
      Em 325 o concilio ecumênico de Nicéia decidiu que a páscoa seria celebrada um domingo depois da primeira lua cheia da primavera evitando que a festa fosse comemorada no mesmo dia da páscoa judaica, logo depois o concilio vaticano II criou um decreto para determinar o domingo certo  estabelecendo definitivamente um calendário, e adotou o nome Tríduo Sacro, que significa: paixão,morte e ressurreição do Senhor para celebrar o mistério pascal, junto com o domingo de ramos, e os três dias depois dele formam a semana santa, onde ocorre a preparação espiritual mais próxima na grande festa da páscoa ou ressurreição.
          A Semana Santa tem como objetivo recordar a paixão e a ressurreição de cristo iniciais com a entrada de Jesus (o messias), em Jerusalém, montado em um jumento.
           O mito fundador é representado pela morte e ressurreição do salvador, de nome Jesus
        A Semana Santa é uma comemoração mista, pois, tem características religiosas que seguem uma tradição desde a crucificação até a ressurreição de Cristo. Durante este período, há um ritual profano onde acontece a Queima do Judas (um dos doze seguidores de Jesus, que o traiu),porém não faz parte da programação religiosa. É uma brincadeira criada pelas comunidades brasileiras,como uma forma de vingar a traição de Judas para com Jesus.
          Em alguns bairros de Santa Luzia existe essa tradição da queima do Judas, que tem como fim a sociabilização. 
             É uma festa restauradora,porque nela ocorre um ciclo, no qual a igreja Católica tenta lembrar aos fiéis o seu verdadeiro destino usando uma passagem bíblica onde se diz: “lembra-te homem que és pó, e ao pó voltarás”.
             A Semana Santa é uma cerimônia aberta para todos os fiéis interessados em reviver este evangelho,vida e morte de Jesus,  através das encenações do período da “Paixão de Cristo”. Mas a cerimônia possui também uma participação fechada, onde tradicionalmente se passa de pai para filho, todo o ritual de preparação dos detalhes da festa,que são os vestir as imagens, ornamentar a igreja, carregar as imagens , bordar os mantos das imagens, participar da encenação do lava pés.

RITUAL

Quaresma 

        É uma cerimônia que se inicia quarenta dias antes, na quarta feira de cinzas,logo depois do carnaval, neste dia os fiéis iniciam um período de reflexão e são encorajados a participarem através de  sacrifícios de renuncias de alguns prazeres e comprimento de promessas, que só terminará depois da  Semana Santa, no Domingo de Ressurreição
      Durante este período é usado roxo tanto na veste sacerdotal quanto na decoração da igreja. O roxo simboliza o sentimento de penitencia e conversão.  
           

           
1º Dia: Domingo de Ramos:

Foi instituído no século IV como forma de relembrar a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém, saudado com os ramos de palmas e galhos.
       Na Bíblia a chegada de Jesus a Jerusalém é contada nos evangelhos de São Mateus 21:1-11;São Marcos 11:1-11;São Lucas 19:28-44 e São João 12:12-19.

          Atualmente esta celebração tem dois momentos:
1)     As bençãos dos ramos de oliveira ou palmeira são abençoadas pelos fieis para serem colocados em uma cruz ou nas casas ou sobre algum jazigo no cemitério como sinal de compromisso com Cristo e simbolizando a força da vida e a esperança da ressurreição.
2)     A missa- neste momento é feita  uma reflexão sobre a morte e ressurreição do Senhor.

 
Domingo de Ramos
[


2º Dia:segunda feira santa

            Jesus é ocultado pelos seus discípulos. Em Santa Luzia nessa procissão ele segue dentro de um caixote de madeira chamado baldaquino, o som que se ouve é fúnebre.
           
3ºDia:Terça- Feira Santa

            Acontece a procissão de Nossa Senhora das Dores,aonde Maria vai à procura de seu filho Jesus . Nessa procissão chamados passos da paixão ocorrem uma pausa  em todas as capelas, para que se faça orações.

Nossa Senhora das Dores

           
4ºDia:Quarta Feira Santa:

É uma procissão que simboliza o encontro do filho com a mãe. Nessa cerimônia ambos saem de Igrejas diferentes, e depois se encontram na frente da Matriz.
        Conforme os princípios da igreja católica os três dias citados acima são uma preparação para o Tríduo sacro, que são os dias da crucificação, morte e ressurreição de Jesus.
        

5ºDia:Quinta-Feira Santa:

Dentro da igreja é realizadas a celebração da Santa Ceia e a cerimônia de Lava Pés,instituída pelo concilio de Toledo em (634). Naqueles dias, Jesus reuniu-se com os seus discípulos para a ceia da páscoa. Antes, Cristo lavou os pés de cada um de seus apóstolos. Desta maneira ele queria ensinar para os seus discípulos a humildade. Logo em seguida, Jesus sentou-se à mesa, abençoou o pão e partindo-o em doze pedaços que corresponde aos seus doze apóstolos e comeu o pão, tomou um cálice de vinho, e repartiu  aos seus discípulos para comerem e  beberem.
         Jesus disse- “Faça assim para lembrar-se de mim quando não estiver mais aqui”.

         Depois do século V aconteceram dois acréscimos:
1)     A criação do tabernáculo provisório- com o objetivo de transportar o que sobrou da ceia, seguindo um ritual de honra. Este tabernáculo é considerado pelos fieis como sendo o sepulcro de Cristo.
2)     Não se deve ter toalhas, flores e ornamentos no altar- com o objetivo de representar o sofrimento de Cristo na cruz.
Na manhã  de quinta feira acontece a missa da unidade e  benção dos santos óleos, neste dia os sacerdotes renovam suas promessas.
No final da  cerimônia acontece a adoração ao santíssimo sacramento, que é o amor instituído por Cristo.
      Em Santa Luzia este é considerado um dia de velório, nas casas são colocadas toalhas roxas e velas. 
           
Lava Pés

6ºDia:Sexta-Feira Santa:

            Neste dia são relembradas a paixão e morte de Jesus.é um dia de respeito, silêncio e simplicidade, é quando se deve recordar, entender o sofrimento, a dor de Jesus e a refletir sobre a absolvição de todos os pecados da humanidade. Ele é condenado pelos Judeus e depois crucificado. nesse dia ocorre a arrumação da Igreja e ao anoitecer acontece uma encenação do descimento de Jesus na cruz. O padre faz o sermão e o sino não é tocado. Durante a cerimônia é mostrada toda a passagem do sofrimento de Jesus na cruz, seguindo um ritual com a encenação de todas as imagens bíblicas. A procissão é seguida com a banda tocando músicas fúnebres e há o ritual de passar o perfume na imagem deitada para seguir a procissão. Isso simboliza Maria limpando o sangue de Jesus depois de sua morte.
   
 A celebração é dividida em:

1)     Paixão proclamada- liturgia da palavra
2)     Paixão invocada- oração solene universal, onde a igreja pede pelas comunidades do mundo inteiro
3)     Paixão venerada- adoração da cruz,local onde se concentra a dor de Jesus.
4)     Paixão comungada- comunhão eucarística.
Neste dia também é lido o relato da paixão de cristo e se faz as procissões da via sacra, que é o caminho da cruz com as quinze estações,em grandes preces  em favor da igreja e pelo mundo e depois é feita a adoração da cruz.

Via-sacra
           
São as quinze estações que ajudam os fieis a passarem por um caminho espiritual e a compreender de uma forma melhor a pessoa de Jesus e o amor que ele demonstrou pela a humanidade:

1ª Estação:Jesus é condenado a morte
2ªEstação:Jesus carrega a cruz
3ªEstação:Jesus cai pela primeira vez
4ªEstação:Jesus encontra sua mãe
5ªEstação:Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz
6ªEstação:Verônica enxuga o rosto de Jesus
7ªEstação:Jesus cai pela segunda vez
8ªEstação:Jesus consola as mulheres de Jerusalém
9ªEstação:Jesus cai pela terceira vez
10ªEstação:Jesus é despojado de suas vestes
11ªEstação:Jesus é pregado na cruz
12ªEstação:Jesus morre na cruz
13ªEstação:Jesus é descido da cruz
14ªEstação:Jesus é colocado no sepulcro
15ªEstação:Jesus ressuscita dos mortos
 
Morte de Jesus


7ºDia:Sábado de Aleluia:

 À noite, começa com a reunião dos fiéis fora da Igreja junto a uma fogueira. O celebrante manifesta, que a Igreja convida a todos a se manter em vigília e oração. Tem inicio a celebração da luz, que compreende a benção do fogo da procissão da ocultação e do Círio Pascal,que é o símbolo de Cristo ressuscitado. O sacerdote com uma punção, traça uma cruz; depois marca uma parte superior à letra alfa,que é a primeira letra do alfabeto grego significando o principio, e no inferior a letra Omega,que é a última letra do alfabeto grego significando fim. A vigília pascal é considerada a grande festa dos cristãos, com a liturgia mais solene. É à noite de vitória da vida sobre a morte, da alegria e da festa.

1)     A celebração da luz – acontece diante de uma fogueira. Neste momento se acende o Círio pascal. Os fiéis se reúnem ao redor da fogueira de forma comunitária. Tradicionalmente esta fogueira era acessa através do atrito de duas pedras, para fazer alusão a Cristo que é também chamado de pedra angular, ou seja, a pedra básica da construção. Outro significado é que do túmulo escuro de pedras nasce a luz para o mundo.

2)     A celebração do Círio - Este objeto representa o Senhor ressuscitado como luz para as trevas humanas. Seguir o Círio pascal, durante a procissão simboliza, estar segundo a Jesus que é a Luz do mundo e lembra o povo de Israel, seguidores de Moisés, estavam na escuridão em busca da liberdade, iluminados apenas por Deus.

3)     A liturgia da palavra – neste período acontecem a leitura de bíblica de nove leituras: sete do Antigo Testamento e duas do Novo testamento ( cartas e evangelhos). Estas leituras são mediadas por cânticos para tornar a celebração mais dinâmica e animada.

4)     A liturgia Batismal – desde o primeiro século a igreja faz uma ligação da celebração do batismo com á noite pascal, porque assim procedia às primeiras comunidades cristãs.

5)     A liturgia Eucarística – é o ponto mais importante desta vigília pascal. È comum nas comunidades rurais realizarem uma confraternização depois da vigília, para comemorar e celebrar com uma festa este acontecimento principal na fé cristã. È aconselhado que se estimule todos os fiéis a participarem desta festa.


8ºDia:Domingo de Páscoa

              Esta celebração aconteceu a partir de em 1955, depois da reforma. Desta maneira o domingo de Páscoa passou a ser mais significativo, porque domingo é o terceiro dia após a morte de Jesus.Neste dia é realizada uma procissão seguida do santíssimo sacramento com anjos e uma  banda tocando musicas mais alegre. As famílias preparam nas ruas tapetes com desenhos coloridos e de temas cristãos, esta é uma forma de homenagear a ressurreição de Cristo.

SÍMBOLO EXALTADO

É um Deus, porque Jesus Cristo é filho de Deus concebido pelo espírito santo da virgem  Maria. Cristo é também considerado herói, pois viveu aqui na terra como homem.
 Em Santa Luzia as figuras que vestem as imagens bíblicas usam roupas muita ricas, ostentando  bordados dourados. Dentro da igreja quando acontecem à cerimônia de lava-pés. O local percorrido pelo santíssimo sacramento por parte dos fieis é muito rico em flores e toalhas bordadas e, além disso, acontece desperdício pelos restos da fabricação dos tapetes feitos de serragens, flores naturais, farinha de trigo, café e bocal.
O Sacrifício é Não digerir carne vermelha e pagar promessa no dia.

Momentos quentes

 Na Sexta-Feira Santa quando Jesus morre as pessoas se emocionam, o padre faz o sermão falando sobre a morte de Cristo. Alguns homens vestidos de branco, simbolizando paz, retiram cada objeto que foi colocado em Jesus durante a crucificação: os espinhos e os pregos. Uma mulher representando verônica, canta e mostra a imagem do rosto de Jesus no pano para os fiéis. Este episódio relembra a sexta estação da via sacra quando ela, seca o rosto de Jesus. Os cristãos levam perfume para passar no cristo com a função de lavar as chagas.
Domingo de ressurreição: é o momento em que Jesus ressuscita e é elevado aos céus. Os fieis com ritmos festivos, retiram os panos roxos de suas casas e colocam os panos brancos e acendem velas. As crianças se vestem de anjos pela sua inocência e seguem a procissão.

            Momentos frios:

Quando termina a celebração e as pessoas voltam para suas casas.

            A COMIDA

A comida  não faz parte da festa, pois, os cristãos se encontram em jejum, não comemcarne vermelha, apenas branca e a alimentação dos fieis.

O reforço é de segregação, pois cada cristão vai estar no seu momento intimo de reflexão sobre sua fé.
A festa acontece nas igrejas e nas ruas onde passam os cortejos. Os lugares da festa são: Igreja da Matriz, do Rosário, Conceição, Nossa Senhora do Carmo, nas ruas como a direita, Floriano Peixoto, Serro e Silva Jardim.
O descanso é feito nas residências dos fieis.
A socialização da festa ocorre depois da ressurreição, às pessoas se soltam e trocam sorrisos e até choros de emoção.
Observa-se que a cidade de Santa Luzia tem alguns comércios que não funcionam durante a semana santa, e a cada dia o sino é tocado com sons diferentes conforme a celebração do dia.
A socialização dos indivíduos é feita quando a comunidade como um todo se empenha na realização da festa. Há uma confraternização de alegria e comemoração.
            A cidade está localizada na Zona Metalúrgica de Minas Gerais (Quadrilátero Ferrífero), na Região Central da Macro-região Metalúrgica e Campo das Vertentes de Minas Gerais. Municípios Limítrofes são: Jaboticatubas, Lagoa Santa, Vespasiano, Belo Horizonte, Sabará, Taquaracu de Minas.

          VIAS DE ACESSO

           Rodovias

           As Rodovias de acesso que podem ser utilizadas para se chegar a Santa Luzia são as MG-145, BR 262 que interligam as BR’S 381 e 040, e a MG 433, que uni a sede do distrito de São Benedito a Belo Horizonte e o Aeroporto Internacional Tancredo Neves. Também pode se chegar a Santa Luzia através da MG 020, pela Avenida das industrias, ligando assim Belo horizonte a cidade.
            Obs: Tem projetado a Via 050, um novo anel rodoviário para a Região Metropolitana, que cortará o município na Região Norte, próximo a Pinhões.

Aeroportos Próximos

Santa Luzia não tem nenhum aeroporto próprio, sendo assim os mais próximos da cidade são os aeroportos Tancredo neves que fica localizado em Confins a 30km da cidade, o da Pampulha a 10km, onde só se realiza vôo domestico e o aeroporto Carlos Prates que é de classe particular localizado a 25km.                          
           
Ferrovias

Município servido pela Ferrovia Centro Atlântica (FCA), Estrada de Ferro Vitória Minas, da CVRD, que opera o Terminal Santa Luzia, ramal de transposição ferroviário de Belo Horizonte.


            Meios de Transporte

Para se chegar à Santa Luzia, de Belo Horizonte ou de outras cidades é utilizado como meio de transporte ônibus, sendo que quem reside na cidade utiliza também carros, motos e charretes.

             CIRCUITO TURÍSTICO

Santa Luzia participa de dois programas turísticos, a Estrada Real e o Circuito do Ouro. Este circuito foi desenvolvido e apoiado pela Secretaria de estado de Minas Gerais, no qual o objetivo é promover o turismo, difundir a cultura, gerar empregos e renda para os municípios que participam, e preservar o meio ambiente. “Fazem parte do Circuito os municípios de Barão de Cocais, Belo Vale, Bom Jesus do Amparo, Caeté, Catas Altas, Congonhas, Itabira, Itabirito, Mariana, Nova lima, Ouro Branco, Ouro Preto, Piranga, Raposos, Rio Acima, Sabará, Santa Bárbara, Santa Luzia e São Gonçalo do Rio Abaixo”.
A Estrada Real é um circuito turístico que visa os caminhos trilhados pelos colonizadores desde a descoberta do ouro em Minas Gerais, ela passa por 8 municípios do Rio de Janeiro, 7 de São Paulo e 162 municípios de Minas Gerais, valorizando a rota por onde o ouro brasileiro circulava no Brasil colônia.

            TIPOLOGIA DO EVENTO

            A Semana Santa é uma festa religiosa, comemorada pelos cristãos de Santa Luzia com muita fé e respeito, é um período de reflexão sobre a vida e a morte de Jesus.

        OFERTA TURÍSTICA

         Atrativos Turísticos

·                     Conjunto arquitetônico da Rua Direita: Casario do período colonial mineiro, tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal e Estadual, com algumas edificações protegidas a nível federal.
·                       Igreja Matriz: Santuário de Santa Luzia, localizado à Rua Direita, datada de 1748, abriga obras do barroco mineiro e pintura do Mestre Athayde, em seus riquíssimos altares entalhados e recobertos de ouro.
·            Igreja do Rosário: Localizada à Rua Direita, edificado em 1751 pela Irmandade dos Negros.
·                  Solar Teixeira da Costa: Localizada à Rua Direita, edificado em 1842. Atualmente abriga  a Casa da Cultura, o Museu Aurélio Dolabela, e a Diretoria Municipal de Cultura.
·                    Solar da Baronesa: Localizada à Rua Direita, tem como destaque suas esteiras pintadas no estilo Asteca, vai abrigar o Memorial da Mulher Mineira.
·               Capela do Bonfim: Localizada na confluência das Ruas Direitas e Floriano Peixoto, sua construção data de 1711. Possui em seu interior acervo de imagens barrocas e pinturas no teto da nave.
·                  Muro de Pedras: Local onde já existia um muro de pedras que serviu de trincheira durante as revoluções liberais de 1842, tendo neste local sido travado o combate final. Área de preservação histórica e ambiental que abriga o Monumento a Caxias.
·                    Capela do Hospital de João de Deus: localização no prédio do hospital à Ruas Floriano Peixoto, encontra-se o altar que primitivamente estava na capela de Santana. Os elementos ornamentais apresentam características do estilo barroco  português. Trata-se do altar mais antigo da região.
·                               Fonte dos Camelos: fonte de água cristalina, marco de lenda e tradição.
·                Mosteiro de Macaúba: Fundado em 1715, foi o primeiro colégio feminino de Minas Gerais, onde estudaram as filhas de Chica da Silva com o contratador João Fernandes.
·                     Fazenda Boa Esperança: Pertence à família Redelvim Andrade, possui tipologia original do século XIX, com currais encaixilhados por guilhotinas de vidro, considerada em sua época “ fazenda modelo”. Atualmente pertencendo à municipalidade, é utilizada como área para promoções de eventos.
·                           Parque de Eventos MEGA SPACE: Área particular de aproximadamente 300.000 m2, para eventos (show, feiras, competições), inclusive dotado de pista especializada para KILÕMETRO  DE ARRANCADA. Local: Avenida das Industrias, Distrito Industrial de Bicas.
·                   Autódromo da Federação Mineira de Automobilismo: especializado para competições em pista de terra, situada à Avenida Beira Rio, km 5,5.
·                       PORTAL Avenida das Industrias: Arrojado projeto arquitetônico de belezas singulares, dotadas de serviços de informações turísticas e de Posto de Segurança Publica de PMMG.
·                             Distrito de Pinhões: sitio de lazer, trilhas ecológicas, e artesanato em barro e palha .
·                       Distrito de Taquaraçu de Baixo: com seu teatro local, Grupo Folclórico Pastorinhas e doces artesanais produzidos pela comunidade local.
·                       Centro cultural Marinha Moreira: Exposição permanente de Artesanato e cursos de artes e culinária mineira. Rua: Floriano Peixoto, 409. 
·                        Praça Julieta Teixeira de Salles: localizada no Centro Histórico, anexa à Casa da Cultura, onde é realizada a feira de arte e artesanato luziense aos domingos de 8:00 às 17:00 horas.
·                          Estação ferroviária: Edificação típica das estações ferroviárias do interior brasileiro, hoje abrigando a Biblioteca Publica.
·                           APA de Andrequicé: Localizada na área rural, ocupa a extensão de 1.760 hectares, preservando fragmentos de Mata Atlântica e vegetação de cerrado (área de transição), na localidade de Andrequicé, na divisa com o município de Jaboticatubas.

Infra-estrutura básica

Comunicações:
A comunicação publica da população de Santa Luzia, pode ser feita através dos correios, da concessionária Telemar e dos jornais Leia Agora ou o do  Muro de Pedra.

Energia Elétrica:
Quem disponibiliza eletricidade para toda a cidade de Santa Luzia é a Concessionária CEMIG.

Água e Esgoto:
Em Santa Luzia quando o assunto é água e esgoto quem fica responsável é a Concessionária COPASA.

Saúde :
Na área de saúde Santa Luzia conta com o Pronto Socorro São Benedito, pronto socorro Sede, e o hospital de São João de Deus.
             
Transporte:
Engenharia de Transito
                        Cooperativa de Táxi
Expresso

Hotéis:
Os turistas que vão a Santa Luzia contam com os serviços do Hotel de Lazer Recanto Lago Azul, hotel Casanova e o hotel Floresta Mágica.
           
DEMANDA TURISTICA

As cerimônias da paixão de Cristo, em Santa Luzia tiveram um crescimento maior neste ano com a participação popular e a força da religiosidade de seus moradores e visitantes.

INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS

            Como a Semana Santa e uma cerimônia secular não há grandes mudanças no cenário. Na pesquisa de gabinete que a equipe realizou antes da cerimônia permitiu comprovar na pratica que foi alcançado e que estava na programação. Foram encontrados elementos próprios da Semana Santa como a crucificação, os panos roxos, os devotos . acompanhava com a procissão, as velas e as imagens bíblicas representada pela população com as mesmas vestimentas, lembrando tudo aquilo que Jesus viveu. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Verifica-se que a infra-estrutura de Santa Luzia precisa ser melhorada as placas de identificação das ruas estavam em péssimas condições, encontra se enferrujadas dificultando o leitor. Precisa de investimentos da secretaria de turismo e cultura para promover mais eventos. A cidade possui hospitais, vários postos de saúde, hotéis, restaurantes, faculdade e pousadas. Através da visita a Santa Luzia observa-se fatores culturais da semana Santa, como a forte tradição da comunidade no empenho da festa.
A sociedade tem um papel fundamental na cerimônia religiosa, onde toda a comunidade se uniu, para que o resultado da cerimônia seja satisfatório. A semana Santa é um período de reflexão único para as pessoas em que as famílias se reúnem, com reaproximação dos valores tradicionais da igreja católica.
Para se obter uma grande demanda turística seria necessário divulgar a cidade e seus atrativos religiosos e culturais, apresentando a fé cristã de forma atrativa , criativa  e emocionante. A prefeitura poderia investir mais na cidade para que ela seja conhecida e melhorada com o turismo.

A Semana Santa ocorre:

No domingo de ramos comemora a entrada de Jesus a Jerusalém, as ruas são enfeitadas de ramos para relembrar a alegria a sua chegada.
Quarta-feira de cinza ocorre a procissão de encontro onde é mostrado Jesus encontrando com sua mãe Maria
Quinta-feira ,santa ceia e lava pés. Nesta cerimônia é relembrada a humildade de Jesus.
Sexta da paixão quando ocorre a crucificação de Jesus na cruz
Sábado de Aleluia onde tem a celebração do fogo e da luz e a benção da semente
Domingo de ressurreição e comemorado a ressurreição de cristo e celebrado a benção do santíssimo sacramento.