Translate

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

O QUE É JET LAG?

Resumo do texto: Analises regionais e globais do turismo brasileiro, Chapter: O que é Jet Lag e sua importância para o Turismo (cap 43), Publisher: Editora Roca, Editors: Luiz Gonzaga Godoi Trigo, Alexandre Panosso Netto, Mariana ALdrigui Carvalho, Paulo dos Santos Pires, pp.671-684

O fenômeno Jet Lag consiste em uma espécie de síndrome decorrente da dessincronização do ritmo biológico do turista, quando este é exposto a viagens transmeridiano. A brusca mudança de fuso horário pode causa insônia ou sonolência, fadiga, dor de cabeça, depressão, indigestão, problemas gastrintestinais, irritabilidade, lentidão de reflexos e dificuldade de concentração. Esses sintomas variam de pessoa a pessoa, pois cada organismo funciona de maneira diferente. No entanto seus efeitos são responsáveis por prejudicar reuniões de negócio e debilitar o passageiro em férias.

O Jet Lag desvirtuar a noção de tempo do relógio biológico humano, a medida que o viajante percorrem lugares longínquos e em alta velocidade. Portanto há uma ligação inerente entre a geografia global, o corpo humano, o estresse, e o transporte utilizado.

Nos organismos vivos ocorrem diversos processos biológicos e de comportamento que são rítmicos. O tempo transcorrido desses ritmos biológicos está conectado aos ciclos sazonais originados do movimento de rotação e o de translação da Terra. O ciclo pode ser por dia, (circadianos), por anual, (circanual) pelos mares e a pela lua (circalunar).

Os ritmos circadianos seguem a mudança do dia e da noite, até mesmo em locais dos extremos meridiano (os pólos), onde o dia ou a noite pode permanecer 24 horas.

Para entender esses ciclos é essencial compreender a forma como os meridianos funcionam. O Planeta é dividido verticalmente em 24 meridianos. A distribuição é feita de 15º em 15º tendo como linha inicial o Greenwich. Cada um representa o tempo que a luz do sol percorre em uma hora. A iluminação solar atinge de forma distinta a superfície terrestre, por isso que cada região tem um fuso horário diferente.



Em viagens em direção ao leste, o relógio precisa ser adiantado, proporcionalmente com o número de meridianos percorrido. Quando o passageiro toma a direção oeste, o relógio deve ser atrasado de acordo com a quantidade de meridianos atravessados.

Já as viagens de norte a sul têm poucos efeitos no organismo humano, pois não há cruzamento de meridianos ou estes são poucos para causar danos a saúde.


Como funciona o corpo nesta situação?

Para compreender como se dá a ocorrência do Jet Lag é necessário conhecer a constituição do metabolismo. Principalmente o basal e o ativo que se relacionam ao gasto com energia e a ganho de calor.

O metabolismo basal consiste na taxa de energia usada pelo corpo no momento de repouso total. Neste caso há pouco gasto energético. Já o metabolismo ativo ocorre em atividades que pode provocar maior ou menor consumo de energia.

Assim o relógio biológico é afetado por elementos endógenos (fisiológico, neurológicos e hormonais) que por sinal podem acarretar transformações, em função de alguns fatores exógenos oriundos do ambiente, como luz, calor, ruído etc.

Os fatores endógenos propiciam os episódios das variações e o exógenos indica o momento que as variações começam. Desse modo a perfeita simultaneidade entre os dois fatores permite um ritmo satisfatório e equilibra o funcionamento do organismo. Por isso os sintomas que o turista sente, são ocasionados pelo avanço ou retardo do tempo natural com relação ao seu ritmo circadiano.

Os indivíduos que vai de oeste para o leste apresentam mais dificuldade em adaptarem ao novo horário. Em compensação os que vão de leste para oeste tem menos problemas em se adequarem. Isso ocorre porque o organismo humano tem mais dificuldades em adiantar o tempo do que atrasá-lo.

A parte do cérebro responsável pelo avançou ou retardo do ritmo circadiano é o hipotálamo. Lá esta a glândula pineal; é profundamente influenciado pelo espaço e internamente por sugestões inventoras do tempo.

No deslocamento transmeridionais em direção ao oeste, o turista sofre com o aumento do tempo aparente, que não é contrabalanceado pelo relógio biológico. No entanto as viagens para leste provocar perda de tempo e anoitece mais cedo, provocando o efeito contrario descrita a cima. Nessas duas situações singulares, o corpo imediatamente tem que lidar efeitos e é quase inexorável que ocorra alterações hormonais, principalmente a melatonina que é o hormônio que controla o sono.

Os cientistas estudaram o efeito da luminosidade e constataram que ao incitar luz em intensidade, houve um bloqueio na produção da melatonina, fazendo a pessoa ficar no estado de alerta. Já na falta de luz ocorreu um aumento na produção, causando sono. A explicação para tal fato é que a glândula pineal, por meio de um aminoácido, o triptofano, fabrica serotonina. Este se acumula no decorrer do dia mantendo o corpo em estado de vigília. Na situação inversa, a falta de luminosidade, a serotonina se converte em melatonina, provocando sono.

O sono diário é fundamental para a recuperação do organismo. Ao adormecer grande parte da energia e do equilíbrio orgânico é restaurado, por isso o tratamento com melatonina passou a ser receitada a passageiros internacionais. Deste modo os pacientes poderiam ajustar o relógio biológico com o fuso horário da região receptora. Contudo deve-se ater para a quantidade e a hora de digerir a substancia, pois há fatores que resulta diretamente do tipo de incomodo apresentado. Tomar melatonina de forma inadequada pode piorar a situação.


Há outras formas de tratar o Jet Lag sem que necessite do uso de pílulas. Neste caso devem-se fazer refeições ricas em carboidratos, tomar banhos longos e quentes e ficar algum tempo exposto ao sol.


Relação entre estresse e Jet Lag

O estresse, que é conhecido na medicina como GAS (General Adaptação Sybdrome). Síndrome Geral da Adaptação. Abreviar a transformação que acontece no dia a dia dos homens, quando este busca adapta-se a estímulos agressivos fora do ciclo circadiano.  

O cientista Hans Selye, estudioso sobre o assunto, aprontou três fase experimentada por pessoas com risco de estresse: Alarme, resistência e esgotamento. Depois da etapa de esgotamento o indivíduo passa pela intitulada doenças de adaptação, onde os efeitos mais comuns são úlcera, a hipertensão, a artrite e lesões do miocárdio, que pode ocasionar infarto.

Além dos fatores relacionados ao corpo e a mente, há outro estudos que não poder ser ignorado, como o do estresse social decorrido da vida urbana. Dentre os quais a exposição do individuo a ruídos, aglomeração, solidão, violência, trabalho cansativo e repetitivo.

Na lógica do estresse, o Jet Lag é precisamente uma ocorrência no qual os turistas necessitam imediatamente adaptar-se às alterações cronológicas imposta por um local distante, o que resulta na mudança do ritmo circadiano.


Aeronáutica

As empresas de transportes aéreos distinguem pelo rigor dos horários de trabalho, sendo fundamental que a tripulação esteja atuante 24 horas por dia. Na maior parte das vezes, é essencial que a indústria aeronáutica atue em ocasião da alta demanda do trafico ou por uma inesperada ausência de empregados em alguma aeronave, o que implica em situações de estresse, complicada com os efeitos do Jet Lag.


Assim, a indústria de transporte aéreo precisa conservar programas informativos para a prevenção dos sintomas do Jet Lag. Estes poderão diminuir os danos e melhorar a qualidade no atendimento ao cliente. Deste modo os funcionários conseguiram escalas seguras nos vôos e aumentar a produtividade.   


Sintomas, práticas de recuperação e prevenção

Os sintomas do Jet Lag variam de acordo com o organismo de cada pessoa, mas é importante listar os efeitos comuns:

Segundo Hrdlicka e Farha, no primeiro dia de viagem os sintomas são: “cansaço anormal; o senso de tempo, espaço e bem estar também é afetado, como a memória, a concentração e a performance”. No dias posteriores “o intestino fica desregulado, perda de apetite, dores de cabeça, etc.

A duração do mal estar, decorrido do Jet Lag, pode fazer o turista sofre por dias e quando conseguem adaptar ao novo ritmo, já estariam na hora de voltar para casa. Por isso muitos dos viajantes procuram criar seus próprios métodos para combater os efeitos negativos. Principalmente os diplomatas internacionais, esportistas e negociadores que viajam freqüentemente.

Hrdlicka e Farha dar algumas recomendações aos passageiros como: “Tenha uma alimentação leve, à base de frutas, vegetais e maior consumo de água; faça uma refeição como essa também durante o vôo para se manter hidratado; evite consumo de bebidas alcoólicas; preferencialmente não passe por nenhum momento de estresse antes do embarque”.

Outro conselho é que o indivíduo se exponha a consecutivamente a luz solar, assim que pisar no destino. Muitos estudiosos afirmam que à luz pode realinhar o relógio biológico, fazendo com que a vontade de dormir diminua durante o dia. Na atualidade há empresas que desenvolve lâmpadas com a finalidade de ajudar pacientes a recuperar do Jet Lag e outras síndromes.

Uma forma de lidar com a fadiga é mudar o habito alimentar. No decorrer do dia são fabricados, pelo corpo, doses de adrenalina, por meio da serotonina. Esta é responsável por fazer as pessoas ficarem em alerta. Ao anoitecer há um abaixo o nível de adrenalina e o organismo produz outra substancia, a melatonina. Deste modo, fazer refeições ricas em proteínas e evitar carboidratos estimula a produção de adrenalina durante o dia.


Hotéis e serviço de recuperação do Jet Lag

O hotel pode ajudar os hospedes a se recuperar. Há formas desenvolvidas pelos meios de hospedagem, com o apoio da medicina, que visam combater o Jet Lag e garantir o bem estar do cliente.

Os turistas que percorreu longa distância podem vivenciar uma sensação de cansaço, mas este não consegue dormir, por causa do relógio biológico. Alguns meios de hospedagem oferecem serviço de massagem ou room service 24 horas.

Já outros buscam informar seus clientes antes da chegada ao destino. Estes passar instruções com providencias que devem ser adotadas no antes, durante e após o vôo. Mas a maneira mais eficiente de sincronizar o relógio biológico é através da exposição à luz solar. Pode-se também usar luz artificial para o mesmo fim.


Para saber quanto tempo uma pessoa deve ficar exposta a luz, há uma tabela conhecida como Jet Lag Fighter que é oferecida em alguns meios de hospedagem. Outra forma de auxiliar a recuperação é disponibilizar travesseiros compatíveis a altura e ao peso com o qual o cliente esta acostumado a usar na sua vida rotineira.