Translate

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O QUE É REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO?

Segundo a Enciclopédia Barsa (1995) a região não se define apenas por um quadro geográfico; necessita possuir uma união satisfatória entre seus habitantes e igualdade de condições que lhes permitam discutir problemas comuns, e características que a distingui das demais regiões. 

A regionalização do turismo foi idealizada pelo Ministério de turismo, com o fim de melhor planejar as ações do turismo, possibilitando uma cooperação e parceria dos segmentos organizados da sociedade, como as instâncias governamentais, empresários, trabalhadores, instituições educacionais, o turista e a própria comunidade. 

Conforme o Ministério do Turismo (2007):

"Regionalizar é converter a ação centralizada, que existe na unidade municipal, numa política mobilizadora capaz de realizar mudanças, tornando o planejamento sistemático e orientando o processo de crescimento local e regional, estadual e nacional de modo articulado e compartilhado".
 
As ações de forma conjunta, têm o objetivo de diversificar a oferta turística, qualificar o produto e ampliar o mercado de trabalho, estruturando os destinos turísticos, aumentando a competitividade do produto turístico no mercado internacional, ampliando o consumo deste produto também no mercado nacional, e por fim fazendo com que o turista seja seduzido a permanecer no local por mais tempo e tenha com um gasto médio no local ou na região onde estará. 

A regionalização do turismo tem como vantagem para o município participante, a divisão dos serviços turísticos buscando alternativas para atingir o desenvolvimento auto-sustentável, pois  municípios próximos podem suprir a carência de infra-estrutura de seus vizinhos , fortalecendo a região como um todo, e permitindo compartilhar os atrativos, favorecendo a permanência dos turistas. 

Em Minas Gerais a idéia da regionalização atraiu interesses dos empresários e do poder público. Foram desenvolvidos três modelos de regionalização: Os Circuitos Turísticos, A Estrada Real e o mais recente, a Associação das Cidades Históricas. 

Circuito Turístico 
Circuito é um agrupamento de município de uma região próxima com semelhanças culturais, sociais e econômicas que reúnem na organização e crescimento da atividade turística regional desde que seja sustentável, através da comunhão continua dos municípios definindo uma atividade regional.  As cidades que compõem os circuitos apresentam identidades semelhantes, dentro da história de Minas.  

Veja a relação dos Circuitos no site: 
http://www.descubraminas.com.br/Turismo/Circuito.aspx

Estrada Real
 
São caminhos que tinham  uma importância oficial, pois era propriedade da Coroa metropolitana. Durante o século XVII os bandeirantes traçaram a Estrada, que antes era uma trilha marcada por índios. Por quase três séculos a Estrada Real, era o principal roteiro para transportar o ouro, diamantes e muitas idéias revolucionárias. Existem  ainda hoje, trilhas calçadas por escravos, bem como monumentos, pontes, cidades, distritos, ruínas, e povoados que preservam um rico patrimônio cultural e natural.  No século XVIII, e também parte do século XIX, quando a  mineração ,já tinha se acabado, os caminhos se tornaram livres e empobrecidos.  

Com o objetivo de organizar, fomentar e gerenciar a oferta Estrada Real foi criado o Instituto Estrada Real – IER. Sociedade civil sem fins lucrativos. O programa é de vital importância para ajudar no desenvolvimento econômico e social sustentável, diminuir as desigualdades regionais, gerar empregos e renda, preservar o patrimônio histórico, cultural, artístico e ecológico dos municípios onde são implantados.  

Marco da Estada Real
A Estrada é conhecida pelo seu potencial no incentivo ao turismo cultural, religioso, histórico, gastronômico, rural, ecoturismo e ao turismo de aventura que acontece no seu entorno, e sua contribuição na implantação ou ampliação de atividades empresariais e melhoria da qualidade de vida dos agentes nos municípios em que atua.


Estrada Real trecho em Acuruí (Itabirito)



Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais
Modificação feita por Anita Marques
É um órgão consultivo e deliberativo criado em Maio de 2003, com o objetivo de planejar as atividades turísticas e executar os projetos propostos e formatar produtos turísticos, favorecendo o crescimento financeiro e garantindo a sustentabilidade dos recursos turísticos.
Para isso a associação criou um cardápio de recursos, equipamentos e serviços turísticos  facilitando a criação de roteiros integrados. Vários meios de divulgação foram utilizados para  mostrar os produtos turísticos como folder, cartilha de roteiros, propaganda na televisão e um site www.cidadeshistoricasdeminas.com.br que é fonte de divulgação das cidades filiadas. Contendo a historia, hospedagem, atrativos, cardápio de roteiros,  atividades esportivas e culturais dos municípios participantes.

As cidades foram divididas em 4 regiões. A região das artes contem vocação para as artes como orquestras, coral, congada, seresta e apresenta conjuntos arquitetônicos de valor artísticos, contendo marcas do barroco mineiro. 
  • A região das manifestações, apresentam elementos da identidade mineira dentre os quais as composições do século XVIII, o artesanato, e a Maria fumaça.
  • A região das Riquezas é uma localidade com fortes traços de riquezas naturais e pela riqueza do solo com a concentração de minerais, contem serras, matas e cachoeiras com destaques no cenário nacional. 
  • A região das Historia tem origem privilegiada em plena Serra do Espinhaço, neste local aflora atividades culturais e tem representantes conhecido nacionalmente como Juscelino Kubitschek nascido em Diamantina.
  • A região das Tradições apresenta conhecimentos populares transmitidos de geração a geração, cultura especifica marcada pela criatividade do povo.
Assim a associação das cidades históricas tem a finalidade de promover produtos turísticos específicos e preparados para receber turistas de todos os lugares.